Buscar
  • Mariana Souza

4 Dicas para escolher um bom nome para a sua empresa

Atualizado: Out 5


Todos os dias, milhares de empresas entram no mercado em todos os ramos com os seus respectivos nomes, prontas para serem achadas pelos buscadores e consumidores.


Se você está iniciando seu negócio agora ou foi notificado por uso indevido de marca, precisará de um bom nome caso queira alcançar o sucesso empresarial.


Porém, o que pouca gente sabe é que o processo de naming, que é a disciplina de decidir como um produto/empresa/serviço será chamado, é mais complexo do que se imagina e o empreendedor deve ter cuidado com certas armadilhas.


Então, aqui vão 4 dicas de como escolher um bom nome!


1) Seja associativo, mas não óbvio

É de conhecimento geral que um bom nome deve fazer associação ao produto ou marca que a empresa comercializa, certo? Uma vez que não faz sentido nomear uma transportadora com nomes típicos de clubes de futebol.


Porém, os extremos devem ser evitados para ambos os lados.


Se, de um lado, não é intuitivo determinadas nomeações pela dificuldade de associação, por outro lado, se um nome é óbvio, com certeza, muitas pessoas já pensaram nele e o utilizam.


Fuja um pouco da obviedade e confie no processo associativo que o seu público pode fazer com o seu nome e ramo.


2) Faça sempre uma boa pesquisa antes...

Por mais que você acredite que encontrou o nome ideal, utilize as ferramentas de busca do Google, bem como todas as redes sociais que você conhece, para fazer uma varredura para verificar se aquele nome está sendo utilizado ou não.


Caso o nome já esteja ocupado, você deve considerar a quantidade de empresas que o utilizam e os respectivos ramos de atuação.


Se, por exemplo, existir apenas uma empresa de um ramo diferente do seu, dificilmente terá problemas com isso.


“Mas e os domínios de internet, como o .com.br? O que faço se essa empresa já estiver utilizando?”


Hoje em dias existem muitos outros domínios populares que podem ser utilizados, não implicando em um prejuízo direto para a presença da sua marca online. Além do mais, outros mecanismos de busca são usados constantemente, como o próprio Google.


3) … Inclusive a pesquisa jurídica

Contudo, apenas as redes sociais não serão o suficiente para a sua pesquisa. Isso porque o Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), que regula a propriedade intelectual em solo nacional, restringe o uso da marca a alguns critérios.


Significa dizer que, embora uma empresa não tenha presença online, ela pode ter o nome que você pensou registrado em propriedade dela. Nesse caso, ele se torna indisponível.


Mas nem tudo está perdido!


O registro é válido por ramo de atividade. Então, se você realizou a busca (que pode ser feita no site da Marquei gratuitamente) e verificou que a empresa não é sua concorrente direta no ramo de atuação, você poderá registrar o nome em ramo distinto.


4) Então, como posso escolher um bom nome?

Uma estratégia interessante é separar um elemento descritivo, como o seu ramo de negócio, com um posicionamento da sua marca, como ousadia, segurança, eficiência, por exemplo.


A escolha de um nome é um processo lógico-criativo de associação. Considere esses dois pontos de partida e utilize sinônimos que mais fazem sentido para esse processo.


Atente-se à sonoridade, facilidade de pronúncia, brevidade e disponibilidade legal.


Dito isso, é só colocar a criatividade em prática!


13 visualizações

MARQUEI​

CNPJ nº.: 34.924.976/0001-72

CONTATO

(11) 99599-9820

(62) 98110-7572

contato@marquei.me

©2020 by Marquei.

Todos os direitos reservados