Buscar
  • Cunha Law - Editor

C&M Watch - Ep. 11: Seus dados para o IBGE, Petróleo, IBOV no vermelho, empréstimos e retomada em V

Atualizado: Abr 28

C&M WATCH - 21/04/2020:


Assista no YouTube




Nesta terça-feira, 21 de abril de 2020, esta é a 11ª edição do C&M Watch, seu programa diário sobre as principais notícias do Brasil e do mundo que podem impactar o seu negócio.


Tópicos desta edição:


1. Empresas de telecomunicação deverão repassar dados de clientes a IBGE

https://migalhas.com.br/quentes/325073/empresas-de-telecomunicacao-deverao-repassar-dados-de-clientes-a-ibge


Foi publicada nesta sexta-feira, 17, a MP 954/20, que dispõe sobre o compartilhamento de dados por empresas de telecomunicações.

Pela norma, empresas de telecomunicação prestadoras do STFC - Serviço Telefônico Fixo Comutado e do SMP - Serviço Móvel Pessoal deverão disponibilizar ao IBGE a relação dos nomes, dos números de telefone e dos endereços de seus consumidores, pessoas físicas ou jurídicas.


A MP diz que o objetivo do compartilhamento de tais dados serve de suporte à produção estatística oficial durante a situação de emergência de saúde pública decorrente do coronavírus, de que trata a lei 13.979/20 - Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais.


2. Contrato de petróleo atinge -37,63 dólares pela primeira vez na história

https://exame.abril.com.br/mercados/preco-do-petroleo-nos-eua-atinge-menor-nivel-da-historia/


Os preços do contrato futuro de petróleo WTI despencaram nesta segunda-feira — valor de referência nos Estados Unidos — recuando mais de 100% para o menor nível da história, à medida que investidores se preocupam com a falta de locais de armazenamento e dados da Alemanha e do Japão indicam um cenário sombrio para a economia global.


O contrato de maio, que tem vencimento amanhã, fechou o pregão em -37,63 dólares por barril. Sim, negativo. “É a primeira vez na história, desde 1946, que um contrato futuro de petróleo negocia com valor negativo. Está mais caro rolar o contrato de barril de petróleo de maio para junho do que zerar a operação e fazer de novo”, comenta Pablo Spyer, diretor da Mirae Asset. Já o petróleo Brent recuou 6,27%, a 26,32 dólares por barril, às 14h53 (horário de Brasília).


Os preços têm sido pressionados há semanas com a pandemia de coronavírus destruindo a demanda pela commodity.


3. IBolsas nos EUA caem forte com derrocada do petróleo piorando crise do coronavírus e Dólar sobe 1,4% e fecha a R$ 5,30, segunda maior cotação da história - https://www.moneytimes.com.br/bolsas-nos-eua-caem-forte-com-derrocada-do-petroleo-piorando-crise-do-coronavirus/ e https://exame.abril.com.br/mercados/dolar-fecha-a-r-530-segunda-maior-cotacao-da-historia/


Os principais índices de ações de Wall Street caíram pelo segundo dia seguido na terça-feira, com o colapso dos preços do petróleo nos EUA e as previsões sombrias das empresas piorando os temores de uma profunda crise econômica.


  • Dow Jones caiu 2,67%, a 23.018,88 pontos,

  • S&P 500 perdeu 3,07% para 2.736,57 pontos.

  • Nasdaq Composite caiu 3,48%, para 8.263,23.


Todos os 11 índices do S&P 500 caíram 1,6% ou mais, com energia recuando pela sétima vez em oito sessões após o contrato do WTI cair abaixo de zero.


Ja no Brasil, nesta segunda feira o dólar fechou em alta de 1,40%, alcançando a segunda maior cotação da história, o patamar de R$ 5,3092.


O desempenho da moeda foi afetado pelo dia negativo nos mercados financeiros no mundo, provocado pelo colapso dos preços do petróleo a mínimas históricas. Esse movimento agravou a percepção de piora para a economia global.


Nem mesmo a intervenção do Banco Central no mercado, com a venda de 500 milhões de dólares em operação no mercado à vista, segurou o movimento. A moeda saiu das máximas, mas acabou recuperando metade da queda.




4. Caixa e Sebrae anunciam R$ 7,5 bi em crédito para MEI, micro e pequenas empresas

https://www.infomoney.com.br/negocios/caixa-e-sebrae-anunciam-r-75-bi-em-credito-para-mei-micro-e-pequenas-empresas/


A Caixa Econômica e o Sebrae anunciaram nesta segunda-feira (20) uma parceria com objetivo de facilitar o acesso ao crédito das micro e pequenas empresas, bem como microempreendedores individuais (MEI). A expectativa é injetar R$ 7,5 bilhões em linhas de crédito facilitado para o setor.


A parceria utiliza as linhas de crédito disponibilizadas pela Caixa e as garantias complementares serão concedidas pelo Sebrae por meio do Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe). A utilização do Fampe permite que as ofertas de crédito tenham taxas competitivas, até 40% menores que as praticadas hoje pela instituição financeira.


As empresas e MEIs interessados no crédito devem manifestar interesse no portal Caixa Econômico. A partir disso, o banco fará a avaliação de crédito e apresentará uma proposta, com taxas de juros e prazo de carência específicos para cada solicitante. Podem solicitar o empréstimo empresas adimplentes com faturamento anual de até 4,9 milhões de reais, que tenham mais de 12 meses com receita. A liberação será feita a partir de quarta-feira (22).


5. "Guedes diz que retomada econômica pode ser em “V”


https://www.gazetadopovo.com.br/republica/breves/guedes-diz-que-retomada-economica-pode-ser-em-v/


"O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta segunda-feira (20), que a recuperação econômica, após a crise do novo coronavírus, será em "V", com retomada tão rápida quanto a queda.


"Vamos surpreender o mundo", disse o ministro, em entrevista ao BTG Pactual.

Na avaliação dele, o Brasil tem tomado medidas melhores ou iguais que a de outros países, inclusive países avançados. "Todo dia tem barulho, mas Brasil está avançando e progredindo", disse.


Na opinião de Guedes, o presidente Jair Bolsonaro tem sido mal interpretado e a orientação do presidente é preservar vidas e empregos."


6. Brasil cai pelo segundo ano seguido em ranking de liberdade de imprensa - https://g1.globo.com/mundo/noticia/2020/04/21/brasil-cai-pelo-segundo-ano-seguido-em-ranking-de-liberdade-de-imprensa.ghtml


O Brasil caiu, pelo segundo ano seguido, no ranking de liberdade de imprensa da organização não governamental "Repórteres Sem Fronteiras", informou a entidade nesta terça-feira (21). O país agora ocupa a posição 107 de 180, atrás de Angola (106), Montenegro (105) e Moçambique (104).


O relatório da organização afirma que a eleição do presidente Jair Bolsonaro, em 2018, "deu início a uma era particularmente sombria da democracia e da liberdade de imprensa no Brasil". Naquele ano, o país ocupava a posição 102 na lista, caindo para a 105 em 2019.


7. Turismo irá perder 38,9% no Brasil em 2020; veja estudo da FGV - https://www.moneytimes.com.br/turismo-ira-perder-389-no-brasil-em-2020-veja-estudo-da-fgv/


O Produto Interno Bruto (PIB) do setor de turismo, que em 2019 chegou a R$ 270,8 bilhões, deve cair para R$ 165,5 bilhões em 2020, indicando redução de 38,9% no faturamento. É o que indica o estudo “Impacto Econômico da covid-19 e Propostas para o Turismo Brasileiro”, elaborado pela FGV Projetos.


Segundo o levantamento, em 2021, os ganhos com o turismo devem alcançar R$ 259,4 bilhões, valor 4,2% inferior ao patamar de 2019. A perda total do setor turístico brasileiro será de R$ 116,7 bilhões no biênio 2020-2021.


3 visualizações

MARQUEI​

CNPJ nº.: 34.924.976/0001-72

CONTATO

(11) 99599-9820

(62) 98110-7572

contato@marquei.me

©2020 by Marquei.

Todos os direitos reservados